Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)

A oração de Jonas no ventre do peixe

21Então, Jonas, do ventre do peixe, orou ao Senhor, seu Deus, 2e disse:

Na minha angústia, clamei ao Senhor,

e ele me respondeu;

do ventre do abismo, gritei,

e tu me ouviste a voz.

3Pois me lançaste no profundo,

no coração dos mares,

e a corrente das águas me cercou;

todas as tuas ondas e as tuas vagas

passaram por cima de mim.

4Então, eu disse: lançado estou

de diante dos teus olhos;

tornarei, porventura, a ver

o teu santo templo?

5As águas me cercaram até à alma,

o abismo me rodeou;

e as algas se enrolaram na minha cabeça.

6Desci até aos fundamentos dos montes,

desci até à terra,

cujos ferrolhos se correram sobre mim, para sempre;

contudo, fizeste subir da sepultura a minha vida,

ó Senhor, meu Deus!

7Quando, dentro de mim, desfalecia a minha alma,

eu me lembrei do Senhor;

e subiu a ti a minha oração,

no teu santo templo.

8Os que se entregam à idolatria vã

abandonam aquele que lhes é misericordioso.

9Mas, com a voz do agradecimento,

eu te oferecerei sacrifício;

o que votei pagarei.

Ao Senhor pertence a salvação!

10Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra.