Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
1

A vocação de Jonas, a sua fuga e o seu castigo

11Veio a palavra do Senhor a Jonas,

1.1
2Rs 14.25
filho de Amitai, dizendo: 2Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. 3Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do Senhor, para Társis; e, tendo descido a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e embarcou nele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor.

4Mas o Senhor lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar. 5Então, os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que estava no navio, para o aliviarem do peso dela. Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente. 6Chegou-se a ele o mestre do navio e lhe disse: Que se passa contigo? Agarrado no sono? Levanta-te, invoca o teu deus; talvez, assim, esse deus se lembre de nós, para que não pereçamos.

7E diziam uns aos outros: Vinde, e lancemos sortes, para que saibamos por causa de quem nos sobreveio este mal. E lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. 8Então, lhe disseram: Declara-nos, agora, por causa de quem nos sobreveio este mal. Que ocupação é a tua? Donde vens? Qual a tua terra? E de que povo és tu? 9Ele lhes respondeu: Sou hebreu e temo ao Senhor, o Deus do céu, que fez o mar e a terra. 10Então, os homens ficaram possuídos de grande temor e lhe disseram: Que é isto que fizeste! Pois sabiam os homens que ele fugia da presença do Senhor, porque lho havia declarado.

11Disseram-lhe: Que te faremos, para que o mar se nos acalme? Porque o mar se ia tornando cada vez mais tempestuoso. 12Respondeu-lhes: Tomai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará, porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade. 13Entretanto, os homens remavam, esforçando-se por alcançar a terra, mas não podiam, porquanto o mar se ia tornando cada vez mais tempestuoso contra eles. 14Então, clamaram ao Senhor e disseram: Ah! Senhor! Rogamos-te que não pereçamos por causa da vida deste homem, e não faças cair sobre nós este sangue, quanto a nós, inocente; porque tu, Senhor, fizeste como te aprouve. 15E levantaram a Jonas e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria. 16Temeram, pois, estes homens em extremo ao Senhor; e ofereceram sacrifícios ao Senhor e fizeram votos.

17Deparou o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe.

1.17
Mt 12.40

2

A oração de Jonas no ventre do peixe

21Então, Jonas, do ventre do peixe, orou ao Senhor, seu Deus, 2e disse:

Na minha angústia, clamei ao Senhor,

e ele me respondeu;

do ventre do abismo, gritei,

e tu me ouviste a voz.

3Pois me lançaste no profundo,

no coração dos mares,

e a corrente das águas me cercou;

todas as tuas ondas e as tuas vagas

passaram por cima de mim.

4Então, eu disse: lançado estou

de diante dos teus olhos;

tornarei, porventura, a ver

o teu santo templo?

5As águas me cercaram até à alma,

o abismo me rodeou;

e as algas se enrolaram na minha cabeça.

6Desci até aos fundamentos dos montes,

desci até à terra,

cujos ferrolhos se correram sobre mim, para sempre;

contudo, fizeste subir da sepultura a minha vida,

ó Senhor, meu Deus!

7Quando, dentro de mim, desfalecia a minha alma,

eu me lembrei do Senhor;

e subiu a ti a minha oração,

no teu santo templo.

8Os que se entregam à idolatria vã

abandonam aquele que lhes é misericordioso.

9Mas, com a voz do agradecimento,

eu te oferecerei sacrifício;

o que votei pagarei.

Ao Senhor pertence a salvação!

10Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra.
Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]