Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
1

A encarnação do Verbo

11No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2Ele estava no princípio com Deus. 3Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. 4A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. 5A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.

6Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João.

1.6
Mt 3.1
Mc 1.4
Lc 3.1-2
7Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. 8Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, 9a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. 10O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 11Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; 13os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. 14E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.

O testemunho de João Batista

15João testemunha a respeito dele e exclama: Este é o de quem eu disse: o que vem depois de mim tem, contudo, a primazia, porquanto já existia antes de mim. 16Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça. 17Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. 18Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.

João Batista repete o seu testemunho

Mt 3.1-12; Mc 1.2-8; Lc 3.1-18

19Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntarem: Quem és tu? 20Ele confessou e não negou; confessou: Eu não sou o Cristo. 21Então, lhe perguntaram: Quem és, pois? És tu Elias?

1.21
Ml 4.5
Ele disse: Não sou. És tu o profeta?
1.21
Dt 18.15-18
Respondeu: Não. 22Disseram-lhe, pois: Declara-nos quem és, para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes a respeito de ti mesmo? 23Então, ele respondeu:

Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor,

1.23
Is 40.3

como disse o profeta Isaías.

24Ora, os que haviam sido enviados eram de entre os fariseus. 25E perguntaram-lhe: Então, por que batizas, se não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta? 26Respondeu-lhes João: Eu batizo com1.26 com; ou em água; mas, no meio de vós, está quem vós não conheceis, 27o qual vem após mim, do qual não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias. 28Estas coisas se passaram em Betânia, do outro lado do Jordão, onde João estava batizando.

João Batista torna a repetir o seu testemunho

29No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! 30É este a favor de quem eu disse: após mim vem um varão que tem a primazia, porque já existia antes de mim. 31Eu mesmo não o conhecia, mas, a fim de que ele fosse manifestado a Israel, vim, por isso, batizando com1.31 com; ou em água.

O batismo de Jesus

Mt 3.13-17; Mc 1.9-11; Lc 3.21-22

32E João testemunhou, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba e pousar sobre ele. 33Eu não o conhecia; aquele, porém, que me enviou a batizar com1.33 com; ou em água me disse: Aquele sobre quem vires descer e pousar o Espírito, esse é o que batiza com o Espírito Santo. 34Pois eu, de fato, vi e tenho testificado que ele é o Filho de Deus.

Dois discípulos de João Batista seguem Jesus

35No dia seguinte, estava João outra vez na companhia de dois dos seus discípulos 36e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus! 37Os dois discípulos, ouvindo-o dizer isto, seguiram Jesus. 38E Jesus, voltando-se e vendo que o seguiam, disse-lhes: Que buscais? Disseram-lhe: Rabi (que quer dizer Mestre), onde assistes? 39Respondeu-lhes: Vinde e vede. Foram, pois, e viram onde Jesus estava morando; e ficaram com ele aquele dia, sendo mais ou menos a hora décima. 40Era André, o irmão de Simão Pedro, um dos dois que tinham ouvido o testemunho de João e seguido Jesus. 41Ele achou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: Achamos o Messias (que quer dizer Cristo), 42e o levou a Jesus. Olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, o filho de João; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro).

Filipe e Natanael

43No dia imediato, resolveu Jesus partir para a Galileia e encontrou a Filipe, a quem disse: Segue-me. 44Ora, Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. 45Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus, o Nazareno, filho de José. 46Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê. 47Jesus viu Natanael aproximar-se e disse a seu respeito: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo! 48Perguntou-lhe Natanael: Donde me conheces? Respondeu-lhe Jesus: Antes de Filipe te chamar, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira. 49Então, exclamou Natanael: Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel! 50Ao que Jesus lhe respondeu: Porque te disse que te vi debaixo da figueira, crês? Pois maiores coisas do que estas verás. 51E acrescentou: Em verdade, em verdade vos digo que vereis o céu aberto e os anjos de Deus

1.51
Gn 28.12
subindo e descendo sobre o Filho do Homem.

2

As bodas em Caná da Galileia

21Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia, achando-se ali a mãe de Jesus. 2Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. 3Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. 4Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. 5Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser.

2.5
Gn 41.55
6Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. 7Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. 8Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. 9Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo 10e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora. 11Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

12Depois disto, desceu ele para Cafarnaum,

2.12
Mt 4.13
com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.

Jesus purifica o templo

13Estando próxima a Páscoa

2.13
Êx 12.1-27
dos judeus, subiu Jesus para Jerusalém. 14E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados; 15tendo feito um azorrague de cordas, expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas 16e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio. 17Lembraram-se os seus discípulos de que está escrito:

O zelo da tua casa me consumirá.

2.17
Sl 69.9

18Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Que sinal nos mostras, para fazeres estas coisas? 19Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário,
2.19
Mt 26.61
27.40
Mc 14.58
15.29
e em três dias o reconstruirei. 20Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás? 21Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo. 22Quando, pois, Jesus ressuscitou dentre os mortos, lembraram-se os seus discípulos de que ele dissera isto; e creram na Escritura e na palavra de Jesus.

Muitos creem em Jesus

23Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome; 24mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. 25E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.

3

Nicodemos visita a Jesus

31Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. 2Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. 3A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. 4Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? 5Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. 6O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. 7Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo. 8O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito. 9Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus: 10Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas? 11Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais o nosso testemunho. 12Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais? 13Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem [que está no céu]. 14E do modo por que Moisés levantou a serpente

3.14
Nm 21.9
no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.

A missão do Filho

16Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. 19O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. 20Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras. 21Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus.

Outro testemunho de João Batista

22Depois disto, foi Jesus com seus discípulos para a terra da Judeia; ali permaneceu com eles e batizava. 23Ora, João estava também batizando em Enom, perto de Salim, porque havia ali muitas águas, e para lá concorria o povo e era batizado. 24Pois João ainda não tinha sido encarcerado.

3.24
Mt 14.3
Mc 6.17
Lc 3.19-20

25Ora, entre os discípulos de João e um judeu suscitou-se uma contenda com respeito à purificação. 26E foram ter com João e lhe disseram: Mestre, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, está batizando, e todos lhe saem ao encontro. 27Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada. 28Vós mesmos sois testemunhas de que vos disse: eu não sou o Cristo,

3.28
Jo 1.20
mas fui enviado como seu precursor. 29O que tem a noiva é o noivo; o amigo do noivo que está presente e o ouve muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim. 30Convém que ele cresça e que eu diminua.

O Filho em relação ao mundo

31Quem vem das alturas certamente está acima de todos; quem vem da terra é terreno e fala da terra; quem veio do céu está acima de todos 32e testifica o que tem visto e ouvido; contudo, ninguém aceita o seu testemunho. 33Quem, todavia, lhe aceita o testemunho, por sua vez, certifica que Deus é verdadeiro. 34Pois o enviado de Deus fala as palavras dele, porque Deus não dá o Espírito por medida. 35O Pai ama ao Filho, e todas as coisas tem confiado às suas mãos.

3.35
Mt 11.27
Lc 10.22
36Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.