Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
7

Iniquidade dos reis e príncipes

71Quando me disponho a mudar a sorte do meu povo e a sarar a Israel, se descobre a iniquidade de Efraim, como também a maldade de Samaria, porque praticam a falsidade; por dentro há ladrões, e por fora rouba a horda de salteadores. 2Não dizem no seu coração que eu me lembro de toda a sua maldade; agora, pois, os seus próprios feitos os cercam; acham-se diante da minha face. 3Com a sua malícia, alegram ao rei e com as suas mentiras, aos príncipes. 4Todos eles são adúlteros: semelhantes ao forno aceso pelo padeiro, que somente cessa de atiçar o fogo desde que sovou a massa até que seja levedada. 5No dia da festa do nosso rei, os príncipes se tornaram doentes com o excitamento do vinho, e ele deu a mão aos escarnecedores. 6Porque prepararam o coração como um forno, enquanto estão de espreita; toda a noite, dorme o seu furor, mas, pela manhã, arde como labaredas de fogo. 7Todos eles são quentes como um forno e consomem os seus juízes; todos os seus reis caem; ninguém há, entre eles, que me invoque.

8Efraim se mistura com os povos e é um pão que não foi virado. 9Estrangeiros lhe comem a força, e ele não o sabe; também as cãs já se espalham sobre ele, e ele não o sabe. 10A soberba de Israel, abertamente, o acusa; todavia, não voltam para o Senhor, seu Deus, nem o buscam em tudo isto. 11Porque Efraim é como uma pomba enganada, sem entendimento; chamam o Egito e vão para a Assíria. 12Quando forem, sobre eles estenderei a minha rede e como aves do céu os farei descer; castigá-los-ei, segundo o que eles têm ouvido na sua congregação. 13Ai deles! Porque fugiram de mim; destruição sobre eles, porque se rebelaram contra mim! Eu os remiria, mas eles falam mentiras contra mim. 14Não clamam a mim de coração, mas dão uivos nas suas camas; para o trigo e para o vinho se ajuntam, mas contra mim se rebelam. 15Adestrei e fortaleci os seus braços; no entanto, maquinam contra mim. 16Eles voltam, mas não para o Altíssimo. Fizeram-se como um arco enganoso; caem à espada os seus príncipes, por causa da insolência da sua língua; este será o seu escárnio na terra do Egito.

8

O castigo está próximo

81Emboca a trombeta! Ele vem como a águia contra a casa do Senhor, porque transgrediram a minha aliança e se rebelaram contra a minha lei. 2A mim, me invocam: Nosso Deus! Nós, Israel, te conhecemos. 3Israel rejeitou o bem; o inimigo o perseguirá. 4Eles estabeleceram reis, mas não da minha parte; constituíram príncipes, mas eu não o soube; da sua prata e do seu ouro fizeram ídolos para si, para serem destruídos. 5O teu bezerro, ó Samaria, é rejeitado; a minha ira se acende contra eles; até quando serão eles incapazes da inocência? 6Porque vem de Israel, é obra de artífice, não é Deus; mas em pedaços será desfeito o bezerro de Samaria.

7Porque semeiam ventos e segarão tormentas; não haverá seara; a erva não dará farinha; e, se a der, comê-la-ão os estrangeiros. 8Israel foi devorado; agora, está entre as nações como coisa de que ninguém se agrada, 9porque subiram à Assíria; o jumento montês anda solitário, mas Efraim mercou amores. 10Todavia, ainda que eles merquem socorros entre as nações, eu os congregarei; já começaram a ser diminuídos por causa da opressão do rei e dos príncipes. 11Porquanto Efraim multiplicou altares para pecar, estes lhe foram para pecar. 12Embora eu lhe escreva a minha lei em dez mil preceitos, estes seriam tidos como coisa estranha. 13Amam o sacrifício; por isso, sacrificam, pois gostam de carne e a comem, mas o Senhor não os aceita; agora, se lembrará da sua iniquidade e lhes castigará o pecado; eles voltarão para o Egito. 14Porque Israel se esqueceu do seu Criador e edificou palácios, e Judá multiplicou cidades fortes; mas eu enviarei fogo contra as suas cidades, fogo que consumirá os seus palácios.

9

Israel já antes castigado

91Não te alegres, ó Israel, não exultes, como os povos; porque, com prostituir-te, abandonaste o teu Deus, amaste a paga de prostituição em todas as eiras de cereais. 2A eira e o lagar não os manterão; e o vinho novo lhes faltará. 3Na terra do Senhor, não permanecerão; mas Efraim tornará ao Egito e na Assíria comerá coisa imunda. 4Não derramarão libações de vinho ao Senhor, nem os seus sacrifícios lhe serão agradáveis; seu pão será como pão de pranteadores, todos os que dele comerem serão imundos; porque o seu pão será exclusivamente para eles e não entrará na Casa do Senhor. 5Que fareis vós no dia da solenidade e no dia da festa do Senhor? 6Porque eis que eles se foram por causa da destruição, mas o Egito os ceifará, Mênfis os sepultará; as preciosidades da sua prata, as urtigas as possuirão; espinhos crescerão nas suas moradas. 7Chegaram os dias do castigo,

9.7
Lc 21.22
chegaram os dias da retribuição; Israel o saberá; o seu profeta é um insensato, o homem de espírito é um louco, por causa da abundância da tua iniquidade, ó Israel, e o muito do teu ódio. 8O profeta é sentinela contra Efraim, ao lado de meu Deus, laço do passarinheiro em todos os seus caminhos e inimizade na casa do seu Deus. 9Mui profundamente se corromperam, como nos dias de Gibeá.
9.9
Jz 19.1-30
O Senhor se lembrará das suas injustiças e castigará os pecados deles.

10Achei a Israel como uvas no deserto, vi a vossos pais como as primícias da figueira nova; mas eles foram para Baal-Peor,

9.10
Nm 25.1-5
e se consagraram à vergonhosa idolatria, e se tornaram abomináveis como aquilo que amaram. 11Quanto a Efraim, a sua glória voará como ave; não haverá nascimento, nem gravidez, nem concepção. 12Ainda que venham a criar seus filhos, eu os privarei deles, para que não fique nenhum homem. Ai deles, quando deles me apartar! 13Efraim, como planejei, seria como Tiro, plantado num lugar aprazível; mas Efraim levará seus filhos ao matador. 14Dá-lhes, ó Senhor; que lhes darás? Dá-lhes um ventre estéril e seios secos. 15Toda a sua malícia se acha em Gilgal, porque ali passei a aborrecê-los; por causa da maldade das suas obras, os lançarei fora de minha casa; já não os amarei; todos os seus príncipes são rebeldes. 16Ferido está Efraim, secaram-se as suas raízes; não dará fruto; ainda que gere filhos, eu matarei os mais queridos do seu ventre. 17O meu Deus os rejeitará, porque não o ouvem; e andarão errantes entre as nações.