Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
9

Os ritos, ofertas e sacrifícios mosaicos eram imperfeitos e ineficazes

91Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de serviço sagrado e o seu santuário terrestre. 2Com efeito, foi preparado o tabernáculo, cuja parte anterior, onde estavam o candeeiro, e a mesa, e a exposição dos pães, se chama o Santo Lugar; 3por trás do segundo véu, se encontrava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, 4ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná,

9.4
Êx 16.33
o bordão de Arão,
9.4
Nm 17.8-10
que floresceu, e as tábuas da aliança; 5e sobre ela, os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Dessas coisas, todavia, não falaremos, agora, pormenorizadamente.
9.1-5
Êx 25.10—26.35

6Ora, depois de tudo isto assim preparado, continuamente entram no primeiro tabernáculo os sacerdotes,

9.6
Nm 18.2-6
para realizar os serviços sagrados; 7mas, no segundo, o sumo sacerdote, ele sozinho,
9.7
Lv 16.2-34
uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo, 8querendo com isto dar a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do Santo Lugar não se manifestou, enquanto o primeiro tabernáculo continua erguido. 9É isto uma parábola para a época presente; e, segundo esta, se oferecem tanto dons como sacrifícios, embora estes, no tocante à consciência, sejam ineficazes para aperfeiçoar aquele que presta culto, 10os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma.

O sacrifício de Cristo não se repete, é perfeito e eficaz

11Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação, 12não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção. 13Portanto, se o sangue de bodes e de touros

9.13
Lv 16.15-16
e a cinza de uma novilha,
9.13
Nm 19.9,17-19
aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, 14muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!

15Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados. 16Porque, onde há testamento,9.16-17 testamento; ou aliança é necessário que intervenha a morte do testador; 17pois um testamento só é confirmado no caso de mortos; visto que de maneira nenhuma tem força de lei enquanto vive o testador. 18Pelo que nem a primeira aliança foi sancionada sem sangue; 19porque, havendo Moisés proclamado todos os mandamentos segundo a lei a todo o povo, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, e lã tinta de escarlate, e hissopo e aspergiu não só o próprio livro, como também sobre todo o povo, 20dizendo:

Este é o sangue da aliança, a qual Deus prescreveu para vós outros.

9.19-20
Êx 24.6-8

21Igualmente também aspergiu com sangue o tabernáculo
9.21
Lv 8.15
e todos os utensílios do serviço sagrado. 22Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue,
9.22
Lv 17.11
não há remissão.

O sacrifício de Cristo é eficaz para sempre

23Era necessário, portanto, que as figuras das coisas que se acham nos céus se purificassem com tais sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais, com sacrifícios a eles superiores. 24Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus; 25nem ainda para se oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no Santo dos Santos com sangue alheio. 26Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado. 27E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, 28assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.

10

Os sacrifícios antigos eram humanos e transitórios. A expiação feita por Cristo é divina e permanente

101Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem. 2Doutra sorte, não teriam cessado de ser oferecidos, porquanto os que prestam culto, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais teriam consciência de pecados? 3Entretanto, nesses sacrifícios faz-se recordação de pecados todos os anos, 4porque é impossível que o sangue de touros e de bodes remova pecados. 5Por isso, ao entrar no mundo, diz:

Sacrifício e oferta não quiseste; antes, um corpo me formaste;

6não te deleitaste com holocaustos e ofertas pelo pecado.

7Então, eu disse: Eis aqui estou (no rolo do livro está escrito a meu respeito), para fazer, ó Deus, a tua vontade.

10.5-7
Sl 40.6-8

8Depois de dizer, como acima:

Sacrifícios e ofertas não quiseste, nem holocaustos e oblações pelo pecado, nem com isto te deleitaste

(coisas que se oferecem segundo a lei), 9então, acrescentou:

Eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade.

Remove o primeiro para estabelecer o segundo. 10Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas.

11Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia,

10.11
Êx 29.38
a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados; 12Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, 13aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés.
10.12-13
Sl 110.1
14Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. 15E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito:

16Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei,

17acrescenta:

Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre.

10.16-17
Jr 31.33-34

18Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado.

O privilégio de acesso dos crentes à presença de Deus

19Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, 20pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, 21e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, 22aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado

10.22
Lv 8.30
10.22 purificado: aspergido de má consciência e lavado
10.22
Lv 8.6
o corpo com água pura. 23Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. 24Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. 25Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.

O castigo do pecado voluntário

26Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; 27pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo

10.27
Is 26.11
vingador prestes a consumir os adversários. 28Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas
10.28
Dt 17.6
19.15
quem tiver rejeitado a lei de Moisés. 29De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança
10.29
Êx 24.8
com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? 30Ora, nós conhecemos aquele que disse:

A mim pertence a vingança; eu retribuirei.

10.30
Dt 32.35

E outra vez:

O Senhor julgará o seu povo.

10.30
Dt 32.36

31Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.

Apelo para o passado. A recompensa não tarda

32Lembrai-vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; 33ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando-vos coparticipantes com aqueles que desse modo foram tratados. 34Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio10.34 tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio; ou, tendo ciência de vos possuirdes a vós mesmos por patrimônio superior e durável. 35Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. 36Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.

37Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará;

38todavia, o meu justo viverá pela fé;

e:

Se retroceder, nele não se compraz a minha alma.

10.37-38
Hc 2.3-4

39Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma.
11

A natureza da fé

111Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem. 2Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. 3Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus,

11.3
Gn 1.1
de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.

Exemplos de fé extraídos do Antigo Testamento

Os primeiros heróis

4Pela fé, Abel ofereceu

11.4
Gn 4.3-10
a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala. 5Pela fé, Enoque foi trasladado
11.5
Gn 5.21-24
para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus. 6De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. 7Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca
11.7
Gn 6.13-22
para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé.

Os patriarcas

8Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu,

11.8
Gn 12.1-5
a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. 9Pela fé, peregrinou
11.9
Gn 35.27
na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; 10porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. 11Pela fé, também, a própria Sara
11.11
Gn 18.11-14
21.2
recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. 12Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu
11.12
Gn 15.5
e inumerável como a areia
11.12
Gn 22.17
que está na praia do mar.

13Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando

11.13
Gn 23.4
que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. 14Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. 15E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.

17Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas, 18a quem se tinha dito:

Em Isaque será chamada a tua descendência;

11.18
Gn 21.12

19porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou.
11.17-19
Gn 22.1-14
20Pela fé, igualmente Isaque abençoou
11.20
Gn 27.27-29,39-40
a Jacó e a Esaú, acerca de coisas que ainda estavam para vir. 21Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou
11.21
Gn 47.31—48.20
cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou. 22Pela fé, José, próximo do seu fim, fez menção do êxodo
11.22
Gn 50.24-25
Êx 13.19
dos filhos de Israel, bem como deu ordens quanto aos seus próprios ossos.

Moisés

23Pela fé, Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses,

11.23
Êx 2.2
porque viram que a criança era formosa;
11.23
Êx 1.22
também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei. 24Pela fé, Moisés,
11.24
Êx 2.10-12
quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, 25preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado; 26porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão. 27Pela fé, ele abandonou o Egito,
11.27
Êx 2.15
não ficando amedrontado com a cólera do rei; antes, permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível. 28Pela fé, celebrou a Páscoa
11.28
Êx 12.21-30
e o derramamento do sangue, para que o exterminador não tocasse nos primogênitos dos israelitas. 29Pela fé, atravessaram o mar Vermelho
11.29
Êx 14.21-31
como por terra seca; tentando-o os egípcios, foram tragados de todo.

Os israelitas em Canaã

30Pela fé, ruíram as muralhas de Jericó,

11.30
Js 6.12-21
depois de rodeadas por sete dias. 31Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída
11.31
Js 6.22-25
com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias.
11.31
Js 2.1-21

32E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão,

11.32
Jz 6.11—8.32
de Baraque,
11.32
Jz 4.6—5.31
de Sansão,
11.32
Jz 13.2—16.31
de Jefté,
11.32
Jz 11.1—12.7
de Davi,
11.32
1Sm 16.1
1Rs 2.11
de Samuel
11.32
1Sm 1.1—25.1
e dos profetas, 33os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões,
11.33
Dn 6.1-27
34extinguiram a violência do fogo,
11.34
Dn 3.1-30
escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. 35Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos.
11.35
1Rs 17.17-24
2Rs 4.25-37
Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; 36outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões.
11.36
1Rs 22.26-27
2Cr 18.25-26
Jr 20.2
37.15
38.6
37Foram apedrejados,
11.37
2Cr 24.21
provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados 38(homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra.

39Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, 40por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]