Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
3

A queda do homem

31Mas a serpente,

3.1
Ap 12.9
20.2
mais sagaz que todos os animais selváticos que o Senhor Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? 2Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, 3mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. 4Então, a serpente disse
3.4
2Co 11.3
à mulher: É certo que não morrereis. 5Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal. 6Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. 7Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.

8Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim. 9E chamou o Senhor Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? 10Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi. 11Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? 12Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi. 13Disse o Senhor Deus à mulher: Que é isso que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente me enganou,

3.13
2Co 11.3
e eu comi. 14Então, o Senhor Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. 16E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará. 17E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra
3.17
Hb 6.8
por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. 18Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo. 19No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.

20E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos. 21Fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.

22Então, disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome também da árvore da vida,

3.22
Ap 22.14
e coma, e viva eternamente. 23O Senhor Deus, por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado. 24E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida.

4

Abel e Caim

41Coabitou o homem com Eva, sua mulher. Esta concebeu e deu à luz a Caim; então, disse: Adquiri um varão com o auxílio do Senhor. 2Depois, deu à luz a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim, lavrador. 3Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. 4Abel, por sua vez, trouxe

4.4
Hb 11.4
das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta; 5ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante. 6Então, lhe disse o Senhor: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? 7Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.

O primeiro homicídio

8Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão,

4.8
Mt 23.35
Lc 11.51
1Jo 3.12
e o matou. 9Disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor de meu irmão? 10E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da terra a mim. 11És agora, pois, maldito por sobre a terra, cuja boca se abriu para receber de tuas mãos o sangue de teu irmão. 12Quando lavrares o solo, não te dará ele a sua força; serás fugitivo e errante pela terra. 13Então, disse Caim ao Senhor: É tamanho o meu castigo, que já não posso suportá-lo. 14Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua presença hei de esconder-me; serei fugitivo e errante pela terra; quem comigo se encontrar me matará. 15O Senhor, porém, lhe disse: Assim, qualquer que matar a Caim será vingado sete vezes. E pôs o Senhor um sinal em Caim para que o não ferisse de morte quem quer que o encontrasse. 16Retirou-se Caim da presença do Senhor e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.

Descendentes de Caim

17E coabitou Caim com sua mulher; ela concebeu e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade e lhe chamou Enoque, o nome de seu filho. 18A Enoque nasceu-lhe Irade; Irade gerou a Meujael, Meujael, a Metusael, e Metusael, a Lameque. 19Lameque tomou para si duas esposas: o nome de uma era Ada, a outra se chamava Zilá. 20Ada deu à luz a Jabal; este foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado. 21O nome de seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta. 22Zilá, por sua vez, deu à luz a Tubalcaim, artífice de todo instrumento cortante, de bronze e de ferro; a irmã de Tubalcaim foi Naamá.

23E disse Lameque às suas esposas:

Ada e Zilá, ouvi-me;

vós, mulheres de Lameque, escutai o que passo a dizer-vos:

Matei um homem porque ele me feriu;

e um rapaz porque me pisou.

24Sete vezes se tomará vingança de Caim,

de Lameque, porém, setenta vezes sete.

25Tornou Adão a coabitar com sua mulher; e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Sete; porque, disse ela, Deus me concedeu outro descendente em lugar de Abel, que Caim matou. 26A Sete nasceu-lhe também um filho, ao qual pôs o nome de Enos; daí se começou a invocar o nome do Senhor.

5

Descendentes de Adão

1Cr 1.1-4

51Este é o livro da genealogia de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; 2homem e mulher

5.2
Mt 19.4
Mc 10.6
os criou, e os abençoou, e lhes chamou pelo nome de Adão, no dia em que foram criados.
5.1-2
Gn 1.27
3Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e lhe chamou Sete. 4Depois que gerou a Sete, viveu Adão oitocentos anos; e teve filhos e filhas. 5Os dias todos da vida de Adão foram novecentos e trinta anos; e morreu.

6Sete viveu cento e cinco anos e gerou a Enos. 7Depois que gerou a Enos, viveu Sete oitocentos e sete anos; e teve filhos e filhas. 8Todos os dias de Sete foram novecentos e doze anos; e morreu.

9Enos viveu noventa anos e gerou a Cainã. 10Depois que gerou a Cainã, viveu Enos oitocentos e quinze anos; e teve filhos e filhas. 11Todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e morreu.

12Cainã viveu setenta anos e gerou a Maalalel. 13Depois que gerou a Maalalel, viveu Cainã oitocentos e quarenta anos; e teve filhos e filhas. 14Todos os dias de Cainã foram novecentos e dez anos; e morreu.

15Maalalel viveu sessenta e cinco anos e gerou a Jarede. 16Depois que gerou a Jarede, viveu Maalalel oitocentos e trinta anos; e teve filhos e filhas. 17Todos os dias de Maalalel foram oitocentos e noventa e cinco anos; e morreu.

18Jarede viveu cento e sessenta e dois anos e gerou a Enoque. 19Depois que gerou a Enoque, viveu Jarede oitocentos anos; e teve filhos e filhas. 20Todos os dias de Jarede foram novecentos e sessenta e dois anos; e morreu.

21Enoque viveu sessenta e cinco anos e gerou a Metusalém. 22Andou Enoque com Deus; e, depois que gerou a Metusalém, viveu trezentos anos; e teve filhos e filhas. 23Todos os dias de Enoque foram trezentos e sessenta e cinco anos. 24Andou Enoque

5.24
Hb 11.5
Jd 14
com Deus e já não era, porque Deus o tomou para si.

25Metusalém viveu cento e oitenta e sete anos e gerou a Lameque. 26Depois que gerou a Lameque, viveu Metusalém setecentos e oitenta e dois anos; e teve filhos e filhas. 27Todos os dias de Metusalém foram novecentos e sessenta e nove anos; e morreu.

28Lameque viveu cento e oitenta e dois anos e gerou um filho; 29pôs-lhe o nome de Noé, dizendo: Este nos consolará dos nossos trabalhos e das fadigas de nossas mãos, nesta terra que o Senhor amaldiçoou. 30Depois que gerou a Noé, viveu Lameque quinhentos e noventa e cinco anos; e teve filhos e filhas. 31Todos os dias de Lameque foram setecentos e setenta e sete anos; e morreu.

32Era Noé da idade de quinhentos anos e gerou a Sem, Cam e Jafé.