Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
3

Paulo apela para a experiência dos gálatas

31Ó gálatas insensatos! Quem vos fascinou a vós outros, ante cujos olhos foi Jesus Cristo exposto como crucificado? 2Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? 3Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne? 4Terá sido em vão que tantas coisas sofrestes? Se, na verdade, foram em vão. 5Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?

A experiência de Abraão

6É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.

3.6
Gn 15.6
7Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. 8Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão:

Em ti, serão abençoados todos os povos.

3.8
Gn 12.3

9De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão. 10Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito:

Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las.

3.10
Dt 27.26

11E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque

o justo viverá pela fé.

3.11
Hc 2.4

12Ora, a lei não procede de fé, mas:

Aquele que observar os seus preceitos por eles viverá.

3.12
Lv 18.5

13Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito:

Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro

3.13
Dt 21.23
),

14para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos, pela fé, o Espírito prometido.

A lei não pode invalidar a promessa

15Irmãos, falo como homem. Ainda que uma aliança seja meramente humana, uma vez ratificada, ninguém a revoga ou lhe acrescenta alguma coisa. 16Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente,

3.16
Gn 12.7
que é Cristo. 17E digo isto: uma aliança já anteriormente confirmada por Deus, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois,
3.17
Êx 12.40
não a pode ab-rogar, de forma que venha a desfazer a promessa. 18Porque, se a herança provém de lei, já não decorre de promessa; mas foi pela promessa que Deus a concedeu gratuitamente a Abraão.
3.6-18
Rm 4.1-12
19Qual, pois, a razão de ser da lei? Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador. 20Ora, o mediador não é de um, mas Deus é um. 21É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum! Porque, se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei. 22Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que creem.

A tutela da lei para nos conduzir a Cristo

23Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se. 24De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. 25Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio. 26Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; 27porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes. 28Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. 29E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa.

4

A nossa filiação em Cristo

41Digo, pois, que, durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo. 2Mas está sob tutores e curadores até ao tempo predeterminado pelo pai. 3Assim, também nós, quando éramos menores, estávamos servilmente sujeitos aos rudimentos do mundo; 4vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. 6E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba,4.6 Aba; no original, Pai Pai! 7De sorte que já não és escravo, porém filho; e, sendo filho, também herdeiro por Deus.

4.1-7
Rm 8.14-17

O valor transitório dos ritos judaicos

8Outrora, porém, não conhecendo a Deus, servíeis a deuses que, por natureza, não o são; 9mas agora que conheceis a Deus ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como estais voltando, outra vez, aos rudimentos fracos e pobres, aos quais, de novo, quereis ainda escravizar-vos? 10Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. 11Receio de vós tenha eu trabalhado em vão para convosco.

A perplexidade de Paulo

12Sede qual eu sou; pois também eu sou como vós. Irmãos, assim vos suplico. Em nada me ofendestes. 13E vós sabeis que vos preguei o evangelho a primeira vez por causa de uma enfermidade física. 14E, posto que a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto; antes, me recebestes como anjo de Deus, como o próprio Cristo Jesus. 15Que é feito, pois, da vossa exultação? Pois vos dou testemunho de que, se possível fora, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar. 16Tornei-me, porventura, vosso inimigo, por vos dizer a verdade? 17Os que vos obsequiam não o fazem sinceramente, mas querem afastar-vos de mim, para que o vosso zelo seja em favor deles. 18É bom ser sempre zeloso pelo bem e não apenas quando estou presente convosco, 19meus filhos, por quem, de novo, sofro as dores de parto, até ser Cristo formado em vós; 20pudera eu estar presente, agora, convosco e falar-vos em outro tom de voz; porque me vejo perplexo a vosso respeito.

4.8-20
Cl 2.8-23

Sara e Agar, alegoria das duas alianças

21Dizei-me vós, os que quereis estar sob a lei: acaso, não ouvis a lei? 22Pois está escrito que Abraão teve dois filhos, um da mulher escrava

4.22
Gn 16.15
e outro da livre.
4.22
Gn 21.2
23Mas o da escrava nasceu segundo a carne; o da livre, mediante a promessa. 24Estas coisas são alegóricas; porque estas mulheres são duas alianças; uma, na verdade, se refere ao monte Sinai, que gera para escravidão; esta é Agar. 25Ora, Agar é o monte Sinai, na Arábia, e corresponde à Jerusalém atual, que está em escravidão com seus filhos. 26Mas a Jerusalém lá de cima é livre, a qual é nossa mãe; 27porque está escrito:

Alegra-te, ó estéril, que não dás à luz, exulta e clama, tu que não estás de parto; porque são mais numerosos os filhos da abandonada que os da que tem marido.

4.27
Is 54.1

28Vós, porém, irmãos, sois filhos da promessa, como Isaque. 29Como, porém, outrora, o que nascera segundo a carne perseguia
4.29
Gn 21.9
ao que nasceu segundo o Espírito, assim também agora. 30Contudo, que diz a Escritura?

Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava será herdeiro com o filho da livre.

4.30
Gn 21.10

31E, assim, irmãos, somos filhos não da escrava, e sim da livre.
5

Ou a lei ou Cristo

51Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.

2Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. 3De novo, testifico a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei. 4De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes. 5Porque nós, pelo Espírito, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. 6Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor. 7Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes a obedecer à verdade? 8Esta persuasão não vem daquele que vos chama. 9Um pouco de fermento leveda toda a massa.

5.9
1Co 5.6
10Confio de vós, no Senhor, que não alimentareis nenhum outro sentimento; mas aquele que vos perturba, seja ele quem for, sofrerá a condenação. 11Eu, porém, irmãos, se ainda prego a circuncisão, por que continuo sendo perseguido? Logo, está desfeito o escândalo da cruz. 12Tomara até se mutilassem os que vos incitam à rebeldia.

A liberdade é limitada pelo amor

13Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor. 14Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

5.14
Lv 19.18

15Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos.

As obras da carne e o fruto do Espírito

16Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. 17Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. 18Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei. 19Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, 20idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, 21invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam. 22Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. 24E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.

25Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. 26Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros.

5.16-26
Rm 7.7-25