Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
19

Seis cidades de refúgio

Nm 35.9-15; Dt 4.41-43

191Quando o Senhor, teu Deus, eliminar as nações cuja terra te dará o Senhor, teu Deus, e as desapossares e morares nas suas cidades e nas suas casas, 2três cidades separarás

19.2
Dt 4.41-43
Js 20.1-7
no meio da tua terra que te dará o Senhor, teu Deus, para a possuíres. 3Preparar-te-ás o caminho e os limites da tua terra que te fará possuir o Senhor, teu Deus, dividirás em três; e isto será para que nelas se acolha todo homicida.

Privilégios oferecidos pelas cidades de refúgio

Nm 35.22-28

4Este é o caso tocante ao homicida que nelas se acolher, para que viva: aquele que, sem o querer, ferir o seu próximo, a quem não aborrecia dantes. 5Assim, aquele que entrar com o seu próximo no bosque, para cortar lenha, e, manejando com impulso o machado para cortar a árvore, o ferro saltar do cabo e atingir o seu próximo, e este morrer, o tal se acolherá em uma destas cidades e viverá; 6para que o vingador do sangue não persiga o homicida, quando se lhe enfurecer o coração, e o alcance, por ser comprido o caminho, e lhe tire a vida, porque não é culpado de morte, pois não o aborrecia dantes. 7Portanto, te ordeno: três cidades separarás. 8Se o Senhor, teu Deus, dilatar os teus limites, como jurou a teus pais, e te der toda a terra que lhes prometeu, 9desde que guardes todos estes mandamentos que hoje te ordeno, para cumpri-los, amando o Senhor, teu Deus, e andando nos seus caminhos todos os dias, então, acrescentarás outras três cidades além destas três, 10para que o sangue inocente se não derrame no meio da tua terra que o Senhor, teu Deus, te dá por herança, pois haveria sangue sobre ti.

Execução do homicida

Nm 35.16-21

11Mas, havendo alguém que aborrece a seu próximo, e lhe arma ciladas, e se levanta contra ele, e o fere de golpe mortal, e se acolhe em uma dessas cidades, 12os anciãos da sua cidade enviarão a tirá-lo dali e a entregá-lo na mão do vingador do sangue, para que morra. 13Não o olharás com piedade; antes, exterminarás de Israel a culpa do sangue inocente, para que te vá bem.

Acerca dos limites e das testemunhas

14Não mudes

19.14
Dt 27.17
os marcos do teu próximo, que os antigos fixaram na tua herança, na terra que o Senhor, teu Deus, te dá para a possuíres.

15Uma só testemunha não se levantará contra alguém por qualquer iniquidade ou por qualquer pecado, seja qual for que cometer; pelo depoimento de duas ou três testemunhas,

19.15
Nm 35.30
Dt 17.6
Mt 18.16
2Co 13.1
1Tm 5.19
Hb 10.28
se estabelecerá o fato. 16Quando se levantar testemunha falsa contra alguém, para o acusar de algum transvio, 17então, os dois homens que tiverem a demanda se apresentarão perante o Senhor, diante dos sacerdotes e dos juízes que houver naqueles dias. 18Os juízes indagarão bem; se a testemunha for falsa e tiver testemunhado falsamente contra seu irmão, 19far-lhe-eis como cuidou fazer a seu irmão; e, assim, exterminarás o mal do meio de ti; 20para que os que ficarem o ouçam, e temam, e nunca mais tornem a fazer semelhante mal no meio de ti. 21Não o olharás com piedade: vida por vida, olho por olho,
19.21
Êx 21.23-25
Lv 24.19-20
Mt 5.38
dente por dente, mão por mão, pé por pé.

20

Acerca da guerra

201Quando saíres à peleja contra os teus inimigos e vires cavalos, e carros, e povo maior em número do que tu, não os temerás; pois o Senhor, teu Deus, que te fez sair da terra do Egito, está contigo. 2Quando vos achegardes à peleja, o sacerdote se adiantará, e falará ao povo, 3e dir-lhe-á: Ouvi, ó Israel, hoje, vos achegais à peleja contra os vossos inimigos; que não desfaleça o vosso coração; não tenhais medo, não tremais, nem vos aterrorizeis diante deles, 4pois o Senhor, vosso Deus, é quem vai convosco a pelejar por vós contra os vossos inimigos, para vos salvar. 5Os oficiais falarão ao povo, dizendo: Qual o homem que edificou casa nova e ainda não a consagrou? Vá, torne-se para casa, para que não morra na peleja, e outrem a consagre. 6Qual o homem que plantou uma vinha e ainda não a desfrutou? Vá, torne-se para casa, para que não morra na peleja, e outrem a desfrute. 7Qual o homem que está desposado com alguma mulher e ainda não a recebeu? Vá, torne-se para casa, para que não morra na peleja, e outro homem a receba. 8E continuarão os oficiais a falar ao povo, dizendo: Qual o homem medroso e de coração tímido? Vá, torne-se para casa, para que o coração de seus irmãos se não derreta como o seu coração. 9Quando os oficiais tiverem falado ao povo, designarão os capitães dos exércitos para a dianteira do povo.

10Quando te aproximares de alguma cidade para pelejar contra ela, oferecer-lhe-ás a paz. 11Se a sua resposta é de paz, e te abrir as portas, todo o povo que nela se achar será sujeito a trabalhos forçados e te servirá. 12Porém, se ela não fizer paz contigo, mas te fizer guerra, então, a sitiarás. 13E o Senhor, teu Deus, a dará na tua mão; e todos os do sexo masculino que houver nela passarás a fio de espada; 14mas as mulheres, e as crianças, e os animais, e tudo o que houver na cidade, todo o seu despojo, tomarás para ti; e desfrutarás o despojo dos inimigos que o Senhor, teu Deus, te deu. 15Assim farás a todas as cidades que estiverem mui longe de ti, que não forem das cidades destes povos. 16Porém, das cidades destas nações que o Senhor, teu Deus, te dá em herança, não deixarás com vida tudo o que tem fôlego. 17Antes, como te ordenou o Senhor, teu Deus, destruí-las-ás totalmente: os heteus, os amorreus, os cananeus, os ferezeus, os heveus e os jebuseus, 18para que não vos ensinem a fazer segundo todas as suas abominações, que fizeram a seus deuses, pois pecaríeis contra o Senhor, vosso Deus.

19Quando sitiares uma cidade por muito tempo, pelejando contra ela para a tomar, não destruirás o seu arvoredo, metendo nele o machado, porque dele comerás; pelo que não o cortarás, pois será a árvore do campo algum homem, para que fosse sitiada por ti? 20Mas as árvores cujos frutos souberes não se comem, destruí-las-ás, cortando-as; e, contra a cidade que guerrear contra ti, edificarás baluartes, até que seja derribada.

21

Expiação por morte cujo autor é desconhecido

211Quando na terra que te der o Senhor, teu Deus, para possuí-la se achar alguém morto, caído no campo, sem que se saiba quem o matou, 2sairão os teus anciãos e os teus juízes e medirão a distância até às cidades que estiverem em redor do morto. 3Os anciãos da cidade mais próxima do morto tomarão uma novilha da manada, que não tenha trabalhado, nem puxado com o jugo, 4e a trarão a um vale de águas correntes, que não foi lavrado, nem semeado; e ali, naquele vale, desnucarão a novilha. 5Chegar-se-ão os sacerdotes, filhos de Levi, porque o Senhor, teu Deus, os escolheu para o servirem, para abençoarem em nome do Senhor e, por sua palavra, decidirem toda demanda e todo caso de violência. 6Todos os anciãos desta cidade, mais próximos do morto, lavarão as mãos sobre a novilha desnucada no vale 7e dirão: As nossas mãos não derramaram este sangue, e os nossos olhos o não viram derramar-se. 8Sê propício ao teu povo de Israel, que tu, ó Senhor, resgataste, e não ponhas a culpa do sangue inocente no meio do teu povo de Israel. E a culpa daquele sangue lhe será perdoada. 9Assim, eliminarás a culpa do sangue inocente do meio de ti, pois farás o que é reto aos olhos do Senhor.

Acerca da mulher prisioneira

10Quando saíres à peleja contra os teus inimigos, e o Senhor, teu Deus, os entregar nas tuas mãos, e tu deles levares cativos, 11e vires entre eles uma mulher formosa, e te afeiçoares a ela, e a quiseres tomar por mulher, 12então, a levarás para casa, e ela rapará a cabeça, e cortará as unhas, 13e despirá o vestido do seu cativeiro, e ficará na tua casa, e chorará a seu pai e a sua mãe durante um mês. Depois disto, a tomarás; tu serás seu marido, e ela, tua mulher. 14E, se não te agradares dela, deixá-la-ás ir à sua própria vontade; porém, de nenhuma sorte, a venderás por dinheiro, nem a tratarás mal, pois a tens humilhado.

O direito do primogênito

15Se um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a quem aborrece, e uma e outra lhe derem filhos, e o primogênito for da aborrecida, 16no dia em que fizer herdar a seus filhos aquilo que possuir, não poderá dar a primogenitura ao filho da amada, preferindo-o ao filho da aborrecida, que é o primogênito. 17Mas ao filho da aborrecida reconhecerá por primogênito, dando-lhe dobrada porção de tudo quanto possuir, porquanto aquele é o primogênito do seu vigor; o direito da primogenitura é dele.

Acerca dos filhos desobedientes

18Se alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedece à voz de seu pai e à de sua mãe e, ainda castigado, não lhes dá ouvidos, 19seu pai e sua mãe o pegarão, e o levarão aos anciãos da cidade, à sua porta, 20e lhes dirão: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz, é dissoluto e beberrão. 21Então, todos os homens da sua cidade o apedrejarão até que morra; assim, eliminarás o mal do meio de ti; todo o Israel ouvirá e temerá.

Os cadáveres serão tirados do patíbulo

22Se alguém houver pecado, passível da pena de morte, e tiver sido morto, e o pendurares num madeiro, 23o seu cadáver não permanecerá no madeiro durante a noite, mas, certamente, o enterrarás no mesmo dia; porquanto o que for pendurado no madeiro é maldito

21.23
Gl 3.13
de Deus; assim, não contaminarás a terra que o Senhor, teu Deus, te dá em herança.