Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
13

Contra os falsos profetas e os idólatras

131Quando profeta ou sonhador se levantar no meio de ti e te anunciar um sinal ou prodígio, 2e suceder o tal sinal ou prodígio de que te houver falado, e disser: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los, 3não ouvirás as palavras desse profeta ou sonhador; porquanto o Senhor, vosso Deus, vos prova, para saber se amais o Senhor, vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. 4Andareis após o Senhor, vosso Deus, e a ele temereis; guardareis os seus mandamentos, ouvireis a sua voz, a ele servireis e a ele vos achegareis. 5Esse profeta ou sonhador será morto, pois pregou rebeldia contra o Senhor, vosso Deus, que vos tirou da terra do Egito e vos resgatou da casa da servidão, para vos apartar do caminho que vos ordenou o Senhor, vosso Deus, para andardes nele. Assim, eliminarás o mal do meio de ti. 6Se teu irmão, filho de tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu amor, ou teu amigo que amas como à tua alma te incitar em segredo, dizendo: Vamos e sirvamos a outros deuses, que não conheceste, nem tu, nem teus pais, 7dentre os deuses dos povos que estão em redor de ti, perto ou longe de ti, desde uma até à outra extremidade da terra, 8não concordarás com ele, nem o ouvirás; não olharás com piedade, não o pouparás, nem o esconderás, 9mas, certamente, o matarás. A tua mão será a primeira contra ele, para o matar, e depois a mão de todo o povo. 10Apedrejá-lo-ás até que morra, pois te procurou apartar do Senhor, teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão. 11E todo o Israel ouvirá e temerá, e não se tornará a praticar maldade como esta no meio de ti.

12Quando em alguma das tuas cidades que o Senhor, teu Deus, te dá, para ali habitares, ouvires dizer 13que homens malignos saíram do meio de ti e incitaram os moradores da sua cidade, dizendo: Vamos e sirvamos a outros deuses, que não conheceste, 14então, inquirirás, investigarás e, com diligência, perguntarás; e eis que, se for verdade e certo que tal abominação se cometeu no meio de ti, 15então, certamente, ferirás a fio de espada os moradores daquela cidade, destruindo-a completamente e tudo o que nela houver, até os animais. 16Ajuntarás todo o seu despojo no meio da sua praça e a cidade e todo o seu despojo queimarás por oferta total ao Senhor, teu Deus, e será montão perpétuo de ruínas; nunca mais se edificará. 17Também nada do que for condenado deverá ficar em tua mão, para que o Senhor se aparte do ardor da sua ira, e te faça misericórdia, e tenha piedade de ti, e te multiplique, como jurou a teus pais, 18se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, e guardares todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, para fazeres o que é reto aos olhos do Senhor, teu Deus.

14

Mutilação do corpo proibida

141Filhos sois do Senhor, vosso Deus; não vos dareis golpes,

14.1
Lv 19.28
21.5
nem sobre a testa fareis calva por causa de algum morto. 2Porque sois povo santo ao Senhor, vosso Deus, e o Senhor vos escolheu de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe serdes seu povo próprio.
14.2
Êx 19.5-6
Dt 7.6
Tt 2.14
1Pe 2.9

Leis sobre os animais limpos e os imundos

Lv 11.1-47

3Não comereis coisa alguma abominável. 4São estes os animais que comereis: o boi, a ovelha, a cabra, 5o veado, a gazela, a corça, a cabra montês, o antílope, a ovelha montês e o gamo. 6Todo animal que tem unhas fendidas, e o casco se divide em dois, e rumina, entre os animais, isso comereis. 7Porém estes não comereis, dos que somente ruminam ou que têm a unha fendida: o camelo, a lebre e o arganaz, porque ruminam, mas não têm a unha fendida; imundos vos serão. 8Nem o porco, porque tem unha fendida, mas não rumina; imundo vos será. Destes não comereis a carne e não tocareis no seu cadáver. 9Isto comereis de tudo o que há nas águas: tudo o que tem barbatanas e escamas. 10Mas tudo o que não tiver barbatanas nem escamas não o comereis; imundo vos será.

11Toda ave limpa comereis. 12Estas, porém, são as que não comereis: a águia, o quebrantosso, a águia marinha, 13o açor, o falcão e o milhano, segundo a sua espécie; 14e todo corvo, segundo a sua espécie; 15o avestruz, a coruja, a gaivota e o gavião, segundo a sua espécie; 16o mocho, a íbis, a gralha, 17o pelicano, o abutre, o corvo marinho, 18a cegonha, e a garça, segundo a sua espécie, e a poupa, e o morcego. 19Também todo inseto que voa vos será imundo; não se comerá. 20Toda ave limpa comereis. 21Não comereis nenhum animal que morreu por si. Podereis dá-lo ao estrangeiro que está dentro da tua cidade, para que o coma, ou vendê-lo ao estranho, porquanto sois povo santo ao Senhor, vosso Deus. Não cozerás o cabrito

14.21
Êx 23.19
34.26
no leite da sua própria mãe.

Os dízimos para o serviço do Senhor

22Certamente, darás os dízimos de todo o fruto das tuas sementes, que ano após ano se recolher do campo. 23E, perante o Senhor, teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu cereal, do teu vinho, do teu azeite e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer o Senhor, teu Deus, todos os dias. 24Quando o caminho te for comprido demais, que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que o Senhor, teu Deus, escolher para ali pôr o seu nome, quando o Senhor, teu Deus, te tiver abençoado, 25então, vende-os, e leva o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que o Senhor, teu Deus, escolher. 26Esse dinheiro, dá-lo-ás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, ou ovelhas, ou vinho, ou bebida forte, ou qualquer coisa que te pedir a tua alma; come-o ali perante o Senhor, teu Deus, e te alegrarás, tu e a tua casa; 27porém não desampararás o levita que está dentro da tua cidade, pois não tem parte nem herança contigo. 28Ao fim de cada três anos, tirarás todos os dízimos do fruto do terceiro ano e os recolherás na tua cidade. 29Então, virão o levita (pois não tem parte nem herança contigo), o estrangeiro, o órfão e a viúva que estão dentro da tua cidade, e comerão, e se fartarão, para que o Senhor, teu Deus, te abençoe em todas as obras que as tuas mãos fizerem.

14.22-29
Lv 27.30-33
Nm 18.21

15

O ano da remissão

151Ao fim de cada sete anos,

15.1
Êx 23.10-11
farás remissão. 2Este, pois, é o modo da remissão: todo credor que emprestou ao seu próximo alguma coisa remitirá o que havia emprestado; não o exigirá do seu próximo ou do seu irmão, pois a remissão do Senhor é proclamada. 3Do estranho podes exigi-lo, mas o que tiveres em poder de teu irmão, quitá-lo-ás; 4para que entre ti não haja pobre; pois o Senhor, teu Deus, te abençoará abundantemente na terra que te dá por herança, para a possuíres, 5se apenas ouvires, atentamente, a voz do Senhor, teu Deus, para cuidares em cumprir todos estes mandamentos que hoje te ordeno. 6Pois o Senhor, teu Deus, te abençoará, como te tem dito; assim, emprestarás a muitas nações, mas não tomarás empréstimos; e dominarás muitas nações, porém elas não te dominarão.

Leis a favor dos pobres

Lv 25.35-38

7Quando entre ti houver algum pobre

15.7
Êx 22.25
Dt 23.19-20
de teus irmãos, em alguma das tuas cidades, na tua terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás as mãos a teu irmão pobre; 8antes, lhe abrirás de todo a mão e lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade. 9Guarda-te não haja pensamento vil no teu coração, nem digas: Está próximo o sétimo ano, o ano da remissão, de sorte que os teus olhos sejam malignos para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada, e ele clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado. 10Livremente, lhe darás, e não seja maligno o teu coração, quando lho deres; pois, por isso, te abençoará o Senhor, teu Deus, em toda a tua obra e em tudo o que empreenderes. 11Pois nunca deixará de haver pobres
15.11
Mt 26.11
Mc 14.7
Jo 12.8
na terra; por isso, eu te ordeno: livremente, abrirás a mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na tua terra.

Leis acerca dos servos

Êx 21.1-11

12Quando um de teus irmãos, hebreu ou hebreia, te for vendido, seis anos servir-te-á, mas, no sétimo, o despedirás forro. 13E, quando de ti o despedires forro, não o deixarás ir vazio. 14Liberalmente, lhe fornecerás do teu rebanho, da tua eira e do teu lagar; daquilo com que o Senhor, teu Deus, te houver abençoado, lhe darás. 15Lembrar-te-ás de que foste servo na terra do Egito e de que o Senhor, teu Deus, te remiu; pelo que, hoje, isso te ordeno. 16Se, porém, ele te disser: Não sairei de ti; porquanto te ama, a ti e a tua casa, por estar bem contigo, 17então, tomarás uma sovela e lhe furarás a orelha, na porta, e será para sempre teu servo; e também assim farás à tua serva. 18Não pareça aos teus olhos duro o despedi-lo forro; pois seis anos te serviu por metade do salário do jornaleiro; assim, o Senhor, teu Deus, te abençoará em tudo o que fizeres.

15.12-18
Lv 25.39-46

Leis acerca dos primogênitos do gado

19Todo primogênito que nascer do teu gado ou de tuas ovelhas, o macho

15.19
Êx 13.12
consagrarás ao Senhor, teu Deus; com o primogênito do teu gado não trabalharás, nem tosquiarás o primogênito das tuas ovelhas. 20Comê-lo-ás perante o Senhor, tu e a tua casa, de ano em ano, no lugar que o Senhor escolher. 21Porém, havendo nele algum defeito, se for coxo, ou cego, ou tiver outro defeito grave, não o sacrificarás ao Senhor, teu Deus. 22Na tua cidade, o comerás; o imundo e o limpo o comerão juntamente, como a carne do corço ou do veado. 23Somente o seu sangue não comerás;
15.23
Gn 9.4
Lv 7.26-27
17.10-14
Dt 12.16,23
sobre a terra o derramarás como água.