Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
2

Salomão faz aliança com Hirão

1Rs 5.1-12

21Resolveu Salomão edificar a casa ao nome do Senhor, como também casa para o seu reino. 2Designou Salomão setenta mil homens para levarem as cargas, oitenta mil, para talharem pedras nas montanhas e três mil e seiscentos, para dirigirem a obra. 3Salomão mandou dizer a Hirão, rei de Tiro: Como procedeste para com Davi, meu pai, e lhe mandaste cedros, para edificar a casa em que morasse, assim também procede comigo. 4Eis que estou para edificar a casa ao nome do Senhor, meu Deus, e lha consagrar, para queimar perante ele incenso aromático, e lhe apresentar o pão contínuo da proposição e os holocaustos da manhã e da tarde, nos sábados, nas Festas da Lua Nova e nas festividades do Senhor, nosso Deus; o que é obrigação perpétua para Israel. 5A casa que edificarei há de ser grande, porque o nosso Deus é maior do que todos os deuses. 6No entanto, quem seria capaz de lhe edificar a casa, visto que os céus e até os céus dos céus o não podem conter? E quem sou eu para lhe edificar a casa, senão para queimar incenso perante ele? 7Manda-me, pois, agora, um homem que saiba trabalhar em ouro, em prata, em bronze, em ferro, em obras de púrpura, de carmesim e de pano azul; que saiba fazer obras de entalhe juntamente com os peritos que estão comigo em Judá e em Jerusalém, os quais Davi, meu pai, empregou. 8Manda-me também madeira de cedros, ciprestes e sândalo do Líbano; porque bem sei que os teus servos sabem cortar madeira no Líbano. Eis que os meus servos estarão com os teus, 9para me prepararem muita madeira; porque a casa que edificarei há de ser grande e maravilhosa. 10Aos teus servos, cortadores da madeira, darei vinte mil coros de trigo batido, vinte mil coros de cevada, vinte mil batos de vinho e vinte mil batos de azeite.

11Hirão, rei de Tiro, respondeu por uma carta que enviou a Salomão, dizendo: Porquanto o Senhor ama ao seu povo, te constituiu rei sobre ele. 12Disse mais Hirão: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, que fez os céus e a terra; que deu ao rei Davi um filho sábio, dotado de discrição e entendimento, que edifique casa ao Senhor e para o seu próprio reino. 13Agora, pois, envio um homem sábio de grande entendimento, a saber, Hirão-Abi, 14filho de uma mulher das filhas de Dã e cujo pai foi homem de Tiro; ele sabe lavrar em ouro, em prata, em bronze, em ferro, em pedras e em madeira, em obras de púrpura, de pano azul, e de linho fino e em obras de carmesim; e é hábil para toda obra de entalhe e para elaborar qualquer plano que se lhe proponha, juntamente com os teus peritos e os peritos de Davi, meu senhor, teu pai.

2.13-14
1Rs 7.13-14
15Agora, pois, mande o meu senhor para os seus servos o trigo, a cevada, o azeite e o vinho de que falou. 16E nós cortaremos tanta madeira no Líbano quanta houveres mister e ta faremos chegar em jangadas, pelo mar, a Jope, e tu a farás subir a Jerusalém.

Os preparativos para edificar o templo

1Rs 5.13-18

17Salomão levantou o censo de todos os homens estrangeiros que havia na terra de Israel, segundo o censo que fizera Davi, seu pai; e acharam-se cento e cinquenta e três mil e seiscentos. 18Designou deles setenta mil para levarem as cargas, oitenta mil para talharem pedras nas montanhas, como também três mil e seiscentos para dirigirem o trabalho do povo.

3

Salomão edifica o templo

1Rs 6.1-10

31Começou Salomão a edificar a Casa do Senhor em Jerusalém, no monte Moriá, onde o Senhor aparecera a Davi, seu pai, lugar que Davi tinha designado na eira de Ornã, o jebuseu. 2Começou a edificar no segundo mês, no dia segundo, no ano quarto do seu reinado. 3Foram estas as medidas dos alicerces que Salomão lançou para edificar a Casa de Deus: o comprimento em côvados, segundo o primitivo padrão, sessenta côvados, e a largura, vinte. 4O pórtico diante da casa media vinte côvados no sentido da largura do Lugar Santo, e a altura, cento e vinte, o que, dentro, cobriu de ouro puro. 5Também fez forrar de madeira de cipreste a sala grande, e a cobriu de ouro puro, e gravou nela palmas e cadeias. 6Também adornou a sala de pedras preciosas; e o ouro era de Parvaim. 7Cobriu também de ouro a sala, as traves, os umbrais, as paredes e as portas; e lavrou querubins nas paredes. 8Fez mais o Santo dos Santos,

3.8
Êx 26.33-34
cujo comprimento, segundo a largura da sala grande, era de vinte côvados, e também a largura, de vinte; cobriu-a de ouro puro do peso de seiscentos talentos. 9O peso dos pregos era de cinquenta siclos de ouro. Cobriu de ouro os cenáculos.

Os dois querubins

1Rs 6.23-28

10No Santo dos Santos, fez dois querubins de madeira e os cobriu de ouro. 11As asas estendidas, juntas, dos querubins mediam o comprimento de vinte côvados; a asa de um deles, de cinco côvados, tocava na parede da casa; e a outra asa, de cinco côvados, tocava na asa do outro querubim. 12Também a asa do outro querubim era de cinco côvados e tocava na outra parede; era também a outra asa igualmente de cinco côvados e estava unida à asa do outro querubim. As asas destes querubins se estendiam por vinte côvados; 13eles estavam postos em pé, e o seu rosto, virado para o Santo Lugar.

3.10-13
Êx 25.18-20
14Também fez o véu
3.14
Êx 26.31
de estofo azul, púrpura, carmesim e linho fino; e fez bordar nele querubins.

As duas colunas

1Rs 7.15-22

15Fez também diante da sala duas colunas de trinta e cinco côvados de altura; e o capitel, sobre cada uma, de cinco côvados. 16Também fez cadeias, como no Santo dos Santos, e as pôs sobre as cabeças das colunas; fez também cem romãs, as quais pôs nas cadeias. 17Levantou as colunas diante do templo, uma à direita, e outra à esquerda; a da direita, chamou-lhe Jaquim, a da esquerda, Boaz.

4

O mar de fundição

1Rs 7.23-26

41Também fez um altar de bronze

4.1
Êx 27.1-2
de vinte côvados de comprimento, vinte de largura e dez de altura. 2Fez também o mar de fundição, redondo, de dez côvados de uma borda até a outra borda, e de cinco de altura; e um fio de trinta côvados era a medida de sua circunferência. 3Por baixo da sua borda, em redor, havia figuras de colocíntidas, dez em cada côvado; estavam em duas fileiras, fundidas quando se fundiu o mar. 4Assentava-se o mar sobre doze bois; três olhavam para o norte, três, para o ocidente, três, para o sul, e três, para o oriente; o mar apoiava-se sobre eles, cujas partes posteriores convergiam para dentro. 5A grossura dele era de quatro dedos, a sua borda, como borda de copo, como flor de lírios; comportava três mil batos.

Outros utensílios para o templo

1Rs 7.27-50

6Também fez dez pias

4.6
Êx 30.17-21
e pôs cinco à direita e cinco, à esquerda, para lavarem nelas o que pertencia ao holocausto; o mar, porém, era para que os sacerdotes se lavassem nele. 7Fez também dez candeeiros de ouro,
4.7
Êx 25.31-40
segundo fora ordenado, e os pôs no templo, cinco à direita e cinco à esquerda. 8Também fez dez mesas
4.8
Êx 25.23-30
e as pôs no templo, cinco à direita e cinco à esquerda; também fez cem bacias de ouro. 9Fez mais o pátio dos sacerdotes e o pátio grande, como também as portas deles, as quais cobriu de bronze. 10E o mar pôs ao lado direito, para o lado sudeste. 11Depois, fez Hirão as panelas, e as pás, e as bacias. Assim, terminou ele de fazer a obra para o rei Salomão, para a Casa de Deus: 12as duas colunas, os dois globos e os dois capitéis que estavam no alto das duas colunas; as duas redes, para cobrirem os dois globos dos capitéis que estavam no alto das colunas; 13as quatrocentas romãs para as duas redes, isto é, duas fileiras de romãs para cada rede, para cobrirem os dois globos dos capitéis que estavam no alto das colunas. 14Fez também os suportes e as pias sobre eles, 15o mar com os doze bois por baixo. 16Também as panelas, as pás, os garfos e todos os utensílios fez Hirão-Abi para o rei Salomão, para a Casa do Senhor, de bronze purificado. 17Na planície do Jordão, o rei os fez fundir em terra barrenta, entre Sucote e Zereda.

18Fez Salomão todos estes objetos em grande abundância, não se verificando o peso do seu bronze. 19Também fez Salomão todos os utensílios do Santo Lugar de Deus: o altar de ouro e as mesas, sobre as quais estavam os pães da proposição; 20e os candeeiros com as suas lâmpadas de ouro puro, para as acenderem, segundo o costume, perante o Santo dos Santos. 21As flores, as lâmpadas e as tenazes eram do mais fino ouro, 22como também as espevitadeiras, as bacias, as taças e os incensários, de ouro finíssimo; quanto à entrada da casa, as suas portas de dentro do Santo dos Santos e as portas do Santo Lugar do templo eram de ouro.