Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
3

As qualificações dos bispos e dos diáconos

31Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja. 2É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; 4e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito 5(pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); 6não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. 7Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo.

8Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância, 9conservando o mistério da fé com a consciência limpa. 10Também sejam estes primeiramente experimentados; e, se se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o diaconato. 11Da mesma sorte, quanto a mulheres, é necessário que sejam elas respeitáveis, não maldizentes, temperantes e fiéis em tudo. 12O diácono seja marido de uma só mulher e governe bem seus filhos e a própria casa. 13Pois os que desempenharem bem o diaconato alcançam para si mesmos justa preeminência e muita intrepidez na fé em Cristo Jesus.

A igreja de Deus, coluna e baluarte da verdade. O grande mistério da piedade

14Escrevo-te estas coisas, esperando ir ver-te em breve; 15para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade. 16Evidentemente, grande é o mistério da piedade:

Aquele que foi manifestado na carne

foi justificado em espírito,

contemplado por anjos,

pregado entre os gentios,

crido no mundo,

recebido na glória.

4

A apostasia nos últimos tempos

41Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, 2pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, 3que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos, com ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; 4pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável, 5porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado.

Exortação à fidelidade e à diligência no ministério

6Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido. 7Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas caducas. Exercita-te, pessoalmente, na piedade. 8Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser. 9Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação. 10Ora, é para esse fim que labutamos e nos esforçamos sobremodo, porquanto temos posto a nossa esperança no Deus vivo, Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis.

11Ordena e ensina estas coisas. 12Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza. 13Até à minha chegada, aplica-te à leitura,4.13 leitura: leitura pública das Escrituras à exortação, ao ensino. 14Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual te foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério. 15Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto. 16Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.

5

Os deveres dos pastores para com várias classes de pessoas

51Não repreendas ao homem idoso; antes, exorta-o como a pai; aos moços, como a irmãos; 2às mulheres idosas, como a mães; às moças, como a irmãs, com toda a pureza.

Das viúvas

3Honra as viúvas verdadeiramente viúvas. 4Mas, se alguma viúva tem filhos ou netos, que estes aprendam primeiro a exercer piedade para com a própria casa e a recompensar a seus progenitores; pois isto é aceitável diante de Deus. 5Aquela, porém, que é verdadeiramente viúva e não tem amparo espera em Deus e persevera em súplicas e orações, noite e dia; 6entretanto, a que se entrega aos prazeres, mesmo viva, está morta. 7Prescreve, pois, estas coisas, para que sejam irrepreensíveis. 8Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente. 9Não seja inscrita senão viúva que conte ao menos sessenta anos de idade, tenha sido esposa de um só marido, 10seja recomendada pelo testemunho de boas obras, tenha criado filhos, exercitado hospitalidade, lavado os pés aos santos, socorrido a atribulados, se viveu na prática zelosa de toda boa obra. 11Mas rejeita viúvas mais novas, porque, quando se tornam levianas contra Cristo, querem casar-se, 12tornando-se condenáveis por anularem o seu primeiro compromisso. 13Além do mais, aprendem também a viver ociosas, andando de casa em casa; e não somente ociosas, mas ainda tagarelas e intrigantes, falando o que não devem. 14Quero, portanto, que as viúvas mais novas se casem, criem filhos, sejam boas donas de casa e não deem ao adversário ocasião favorável de maledicência. 15Pois, com efeito, já algumas se desviaram, seguindo a Satanás. 16Se alguma crente tem viúvas em sua família, socorra-as, e não fique sobrecarregada a igreja, para que esta possa socorrer as que são verdadeiramente viúvas.

Acerca dos presbíteros. Vários conselhos

17Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. 18Pois a Escritura declara:

Não amordaces o boi, quando pisa o trigo.

5.18
Dt 25.4

E ainda:

O trabalhador é digno do seu salário.

5.18
Mt 10.10
Lc 10.7

19Não aceites denúncia contra presbítero, senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três testemunhas.
5.19
Dt 17.6
19.15
20Quanto aos que vivem no pecado, repreende-os na presença de todos, para que também os demais temam. 21Conjuro-te, perante Deus, e Cristo Jesus, e os anjos eleitos, que guardes estes conselhos, sem prevenção, nada fazendo com parcialidade. 22A ninguém imponhas precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice de pecados de outrem. Conserva-te a ti mesmo puro. 23Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades.

24Os pecados de alguns homens são notórios e levam a juízo, ao passo que os de outros só mais tarde se manifestam. 25Da mesma sorte também as boas obras, antecipadamente, se evidenciam e, quando assim não seja, não podem ocultar-se.