O que a Bíblia diz sobre juventude

Por Mário Rost, gerente de Desenvolvimento Institucional da SBB.

Para falar de juventude é preciso fazer uma escolha: qual será a abordagem? (1) Fala-se hoje que estamos vivendo a era do conhecimento. Acumular conhecimento, adquirir conhecimento, dominá-lo e aplicá-lo, parece algo muito importante na juventude. (2) Também poderíamos olhar do ponto de vista econômico e produtivo. Aquela nação em que vive um grupo significativo de jovens tem uma força de trabalho interessante para o país. (3) Ou vamos olhar para a juventude do ponto de vista social, como contribuição para a organização de uma sociedade humana. Qual é o papel desse estado de juventude? (4) Queremos compreender melhor a juventude a partir da Bíblia: “O que é que a Bíblia fala sobre juventude?”

Dizer que toda pessoa ‘em juventude’ é rebelde, contestadora, sonhadora exagerada, ingrata, adversária dos adultos é uma generalização perigosa. É interessante focarmos também nas qualidades características desta fase e que podem ser reconhecidas e estimuladas. Os valores que gostamos de ver cultivados na família, na congregação, na comunidade social precisam estar presentes na juventude como valores próprios, não simplesmente como valores que foram herdados, mas não representam a elaboração pessoal sobre questões da vida.

Tensões

A juventude encerra momentos que podem ser resumidos na expressão: É tenso! Vamos olhar mais de perto algumas situações que retratam essa característica: (1) Quando Jeremias foi chamado para ser profeta, que tensão! Que momento tenso foi aquele em que Jeremias diz: “eu não sei falar”, “eu não consigo falar”, “eu não posso falar”. Mas o SENHOR insiste com ele, “não diga que você é jovem demais para falar”. Assumir ou não assumir uma tarefa importante pode gerar muita tensão (Jr 1.6).

O apóstolo Paulo reconhece que pode haver tensão pelo fato de Timóteo ser jovem e estar à frente de um ministério, de uma igreja. “Pode ser que pessoas procurem lhe desprezar por causa da sua juventude, não permita”. Tensão real (1Tm 4.12).

Um auxiliar de Moisés, um jovem, que já estava há algum tempo com ele ficou tenso ao ver que outras pessoas começaram a profetizar. Ele se dirigiu a Moisés dizendo: “Chefe, o senhor não pode deixar isso acontecer. Como é que essas pessoas estão profetizando?” (Nm 11.28).

Desde jovens precisamos aprender com o sofrimento e com as tensões que enfrentamos (Lm 3.27). Portanto, a Bíblia reconhece que existem muitas tensões também na vida de jovens e que em todas elas Deus está presente. Elas têm o caráter pedagógico de nos ensinar sobre o sofrimento.

Toda a discussão de Jó com os seus amigos e com Deus tem como pano de fundo o que Jó fez e o que foi na sua mocidade e o que estava lhe sobrevindo agora. “Eu agi assim na minha juventude, fui bom, agi bem, fui justo, fui fiel e vê agora o está me acontecendo”. Jó questiona a justiça desse julgamento (Jó 13,26). Ele diz que se tivesse oportunidade de falar com Deus, ele diria: “Tu escreves duras acusações contra mim e queres que eu pague pelos erros da minha mocidade.”

Outra questão para o diálogo sobre juventude é a questão da experiência ou a falta dela. Temos um embate bem atual: se requer experiência, mas não se permite que o jovem comece a ganhar experiência.

O filho de Davi, Salomão, se considerou ainda sem experiência para assumir o trono de seu pai, substituí-lo. Salomão declara ser ainda muito jovem e não ter experiência (1Rs 3.7).

Acertos

Por outro lado, importante ressaltar que muitas referências da Bíblia sobre o nosso tema são altamente positivas. O jovem José, filho de Jacó, aos 17 anos de idade ajudava a tomar conta dos rebanhos de ovelhas de seu pai. Significava ficar fora de casa por dias e dias, por semanas, conduzindo os rebanhos para as melhores pastagens. (Gn 37.2).

Em outra parte (1Rs 11.28), Salomão observou entre os trabalhadores que estavam construindo um aterro na parte leste de Jerusalém, que se destacava um jovem chamado Jeroboão. Um jovem muito capacitado e que trabalhava com muita vontade. Tanto que Salomão o fez encarregado sobre todos os trabalhadores daquela obra. Pela sua dedicação, pela sua capacidade, o jovem recebeu a promoção.

Jovens tem destaque como profetas. Um jovem profeta enviado por Eliseu, segundo 2Reis 9, foi responsável por ungir Jeú para ser rei em lugar de Jorão.

Portanto, existem várias situações em que a participação de jovens é celebrada, reconhecida como muito positiva.

Não podemos esquecer também que a Bíblia fala do vigor físico dos jovens, do cuidado com o seu corpo. Encontramos referência a Saul: um jovem bonito, alto e que tinha reconhecidas essas suas características (1Sm 9.2). Portanto, quando os jovens dedicam tempo a cuidar do seu corpo não estão fazendo algo que é contrário à vontade de Deus.

Conclusão

Coisas que ‘vieram pra ficar’ também acontecem na juventude. Nem tudo é provisório ou transitório. Podem ser plantadas árvores cujos frutos colheremos pelo resto da vida, como o nosso estudo, nossa formação, as amizades que cultivamos, as alianças que fazemos, as causas que abraçamos voluntaria ou até profissionalmente. São coisas que aconteceram na juventude e são importantes por toda a vida. Pensamos também nos filhos que nos são dados na nossa mocidade, filhos que são um tesouro para toda a vida (Sl 124.7).

Que mais podemos aprender sobre juventude na Bíblia?

🗓 Publicado em Terça-feira 1 dezembro 2020

Pastor Mário Rost é natural de Laranja da Terra, ES. Formou-se em Teologia em 2002, pelo Instituto Concórdia de São Paulo. No mesmo ano, formou-se em Diaconia em Música pelo mesmo ICSP. Em 2007, pós graduou-se em Ética, Cidadania e Subjetividade (EST/UFRGS). Trabalha como gerente de Desenvolvimento Institucional na SBB – Sociedade Bíblica do Brasil.