73 anos da Sociedade Bíblica do Brasil

Celebrar os 73 anos de uma organização como a Sociedade Bíblica do Brasil conduz a uma reflexão. No Brasil, aproximadamente a metade das organizações não ultrapassa a idade de 5 anos. Com a pandemia, foram centenas, se não milhares, as organizações que encerraram suas atividades. Ou seja, não são tantas as organizações que alcançam a idade de 73 anos.

                Um sociólogo, estudioso do desenvolvimento das organizações, disse que assim como o ser humano passa por diversas fases na vida, as organizações também passam. O ser humano começa a sua vida frágil e precisa da ajuda e cuidado de outros. Na sua infância o ser humano brinca muito e não tem muitas restrições para fazer brincadeiras e caretas. Tudo pode ser um bom motivo para diversão. No começo o ser humano não tem ideia exata de sua potencialidade e dos riscos que corre. Na juventude, o ser humano faz muitas aventuras. Ele arrisca novas possibilidades. Na idade adulta ele procura maior foco. Mas aí vem a velhice e nem tudo lhe é possível. Assim seriam as organizações.

                Organizações jovens podem mudar de atividade e arriscar muitas coisas. Organizações adultas procuram ver o seu foco. Começam a criar suas rotinas e, muitas vezes, se perdem nelas. Por fim, apenas para manter a sua existência precisam fazer um esforço tão grande que, não poucas vezes, encaminha a organização para a sua velhice e ocaso.

                Mas este sociólogo lembrou que, como o ser humano, as organizações não precisam perder a vitalidade na velhice. Elas podem injetar em si próprias juventude e se reinventar. Elas podem ver sentido novo naquilo que fazem

                A Sociedade Bíblica do Brasil pode ser vista como uma organização idosa. Mas ela é cheia de vitalidade. Ao longo de sua história, ela sempre teve como norte a Causa da Bíblia. Na metade do século passado, ela precisava se firmar como organização. Procurou cumprir a sua missão cuidando primordialmente da tradução da Bíblia para o português e de sua presença em todo o território nacional. Mas isso não encerrava o seu objetivo.

                O desafio de disponibilizar a Bíblia para todos levou décadas para ser devidamente equacionado. Não é que ele esteja completo, mas a realidade mostra que o acesso à Bíblia mudou nesses 73 anos por causa da existência da Sociedade Bíblica do Brasil. Mas isso não fez com que ela não tivesse mais visão de futuro. Se a Bíblia impressa era o grande desafio, nas últimas décadas o desafio da disponibilização da Bíblia pelos meios digitais também foi abraçado. No ano passado, mais de 2 Bilhões de capítulos da Bíblia foram lidos nas telas de telefones celulares, tablets e computadores. Mas isso ainda não esgotou a missão da Sociedade Bíblica do Brasil.

                Ao longo dessas décadas, a SBB viu que a Bíblia precisa ser lida para transformar vidas. Aí começaram os programas bíblicos de impacto social. Já na década de 1950 começaram os esforços de levar a Bíblia em braile e áudio para cegos e pessoas com necessidades especiais. Na década de 1960, começava o programa Luz na Amazônia. E este tipo de atuação só cresceu.

                Quando olhamos para o futuro, em vez de perceber uma organização idosa, percebemos uma organização cheia de desafios, vibrante e dinâmica, como os jovens costumam ser. Parabéns Sociedade Bíblica do Brasil pelos seus 73 anos de juventude.

Rev. Erní W. Seibert, diretor executivo da SBB

🗓 Publicado em Terça-feira 8 junho 2021